terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Mostra de Conhecimento 2015

Em novembro, aconteceu na EMEB Professor Pedro Henrique Berkenbrock a Mostra de Conhecimentos dos Projetos desenvolvidos pelos Professores e alunos no decorrer deste ano letivo. Através desses Projetos os alunos despertaram a curiosidade e a criatividade nos trabalhos desenvolvimentos, enriquecendo seus conhecimentos. A Direção Parabeniza todos os professores e alunos pelos belíssimos trabalhos apresentados, os quais agradaram muito aqueles que prestigiaram o evento. Agradecemos ainda aos pais pela visitação e demonstração de apoio na realização dos projetos desenvolvidos pelos seus filhos.










quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Formatura Pré 2015

Em clima de alegria e confraternização, a EMEB Pedro Henrique, promoveu na sexta dia 04/12, a solenidade de formatura dos alunos do Pré-escolar.
A formatura aconteceu no Centro de Excelência com uma bela decoração preparada pelos servidores da escola. Formaram-se alunos da Pré Escola, das turmas I e II da professora Amália Kosmala.



Clique no link abaixo para obter as fotos da formatura
https://goo.gl/photos/w2jm7jyWwuHjEgp28

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Resultado do questionário do Bullying/Cyberbullying

Vídeo homenagem aos 5 anos

Plano de formação desenvolvido pela Professora Monica e Monitora Lisane



EMEB PROFESSOR PEDRO HENRIQUE BERKENBROCK
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO – EDUCAÇÃO NA CULTURA DIGITAL
CURSISTA: LISANE RITZMANN
MONICA GALIKOVSKI


 Atividade 01: Ação 03 / Avaliação da Experiência

1 - Os avanços alcançados diante da sua experiência de integração

O maior avanço alcançado até agora com o nosso plano de formação foram os resultados obtidos através dos questionários aplicados aos alunos, que levaram os mesmos a fazer uma reflexão inicial sobre o tema, despertando seus interesses para novas ações propostas como, historias em quadrinhos, teatro e criação de cartaz.  Nesta etapa os alunos conheceram um novo recurso das TDICs, que é o questionário on-line, pois nunca haviam o utilizado, o que causou-lhes muita curiosidade e apreensão, porém depois de realizada a ação proposta acharam bem legal. Também ocorreram avanços no que diz respeito aos questionários respondidos pelos professores, que puderam traçar seu planejamento com atividades relacionadas ao assunto. Todos os resultados foram colocados no blog da escola http://emebpedro.blogspot.com.br e o plano de formação está disponível neste link http://emebpedro.blogspot.com.br/p/cultura-digital.html e dessa forma fazendo com que todos participassem com interesse das ações desenvolvidas na primeira etapa, refletindo sobre suas atitudes com relação a esse problema tão comum nos dias de hoje.
2- Os desafios enfrentados na realização da experiência de integração;
Um dos primeiros desafios encontrados foi reunir todos os professores para falar sobre a proposta e a ação inicial, que seria o questionário onde todos deveriam responder em seus e-mails. Outro desafio, porém muito gratificante foi levar todos os alunos de 4º e 5º Ano do Ensino Fundamental para a sala informatizada, onde deveriam responder pela primeira vez à um questionário on-line. Neste momento ficaram um pouco apreensivos e ansiosos na chegada, mas ao sair demonstravam satisfação e interesse por refletir um pouco mais sobre o tema e ainda por ter conhecido e utilizado mais uma ferramenta das TDICs. Depois um dos desafios encontrados também foi a coleta e levantamento de dados devido ao tempo entre uma ação e outra ser curto para a realização das mesmas.

3- As alternativas que você julga pertinentes e de possível implementação, de modo a aperfeiçoar a integração das TDIC às práticas pedagógicas, a partir da reflexão acerca da experiência realizada.
Acreditamos que a maior contribuição do Plano de Formação Educação e Cidadania Digital é que ele  cria vários momentos, abrindo espaço para a discussão sobre esse tema que vem sendo discutido por toda a sociedade, envolvendo de maneira significativa toda a comunidade escolar,  quebrando o gelo entre pais, alunos e professores sobre algo que já é considerado um grande  problema nos dias atuais e muitas vezes ignorado ou omitido pelos envolvidos nos espaços escolares. Ele é discutido, refletido e informado de forma que os alunos se envolvam, sem deixar de lado a construção do conhecimento e a socialização dos saberes adquiridos com o uso e apropriação de recursos das TDICs. Contribui ainda para que os professores aprofundem mais as reflexões acerca do tema e levem as ações para o desenvolvimento de atividades propostas em seu planejamento, traçando objetivos em suas aulas, sem deixar de lado os conteúdos do planejamento anual, mas trabalhando-os de maneira interdisciplinar e garantindo bons resultados aos seus alunos.




quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Projeto desenvolvido desenvolvido pela Professora Ivonete e Sergio

Universidade Federal de Santa Catarina.
Curso de Especialização em Educação na Cultura Digital.
PLAC 3.
Cursistas: SERGIO IVAN PICCOLLI E IVONETE TEREZINHA BONA.
Pólo: Joinville.
Atividade 1: Ação 3 – AVALIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA.
            O Projeto: CONHECENDO OS BAIRROS DE RIO NEGRINHO, teve como objetivo geral desenvolver uma proposta de trabalho interdisciplinar, envolvendo as TDIC no processo de ensino aprendizagem.
            Foi aplicado nas duas turmas de 2º Ano da EMEB Prof. Pedro Henrique Berkenbrock, da cidade de Rio Negrinho, pelos professores cursistas Sergio Ivan Piccolli e Ivonete Terezinha Bona.
            Foram utilizados diversos recursos: mapas, quebra-cabeça, data show, computador, celular, TV, DVD, sucatas (caixinhas, latinhas, palitos, etc.), papel, lápis de cor, tinta, entre outros.
            O cronograma de trabalho foi o seguinte:
01/09 – Início do Projeto com apresentação dos mapas do Brasil (País), Santa Catarina (Estado) e Rio Negrinho (Cidade).

03/09 – Conversa sobre o município, localizando dentro do mapa da cidade o Bairro Industrial Norte, no qual a escola está localizada.
08/09 – Colorir os mapas para montar um quebra-cabeça (foram confeccionados 13 mapas, coloridos por equipes com três alunos).
14/09 – Apresentação de vídeo no data show, referente aos pontos turísticos de Rio Negrinho e os principais referenciais de cada Bairro.

15/09 – Produção escrita acerca do vídeo assistido.
21/09 – Conversa sobre os pontos turísticos da nossa cidade e do Bairro.
29/09 – No grande mapa confeccionado pela professora Ivonete e ilustrado pela professora Isabela, fazer a localização do Bairro Industrial Norte, os Bairros vizinhos e os pontos turísticos da nossa cidade.
05/10 – Localização no mapa dos Bairros e seus respectivos limites.
14/10 – Jogo: Colocar as fotos dos pontos referenciais (Prefeitura, Campo Municipal, Igreja Matriz, EMEB Prof. Pedro Henrique Berkenbrock, Igreja Santa Rita de Cássia, entre outros) de acordo com os Bairros onde estão localizados.

22/10 – Realização de Passeio, visitando os Bairros da cidade.
23/10 – Registro coletivo no quadro, anotando tudo o que foi observado nos Bairros.



30/10 – Jogo do quebra-cabeça confeccionado pelos alunos.


03/11 – Início da confecção da maquete do nosso Bairro.



04/11 – Continuação da maquete.
05/11 – Conclusão da maquete.
09/11 – Pesquisa com os pais sobre o nosso Bairro.
17/11 – Confecção de cartaz com as características do Bairro.

23/11 – Pesquisa na internet sobre as fontes históricas do nosso bairro (Fotos).
25 e 26/11 – Elaboração do Mapa Conceitual na Sala Informatizada.


27/11 – Jogo do quebra-cabeça dos mapas.
            Após a realização de todas as atividades propostas, expostas acima, foi constatado que muitos foram os avanços dos alunos em relação aos conhecimentos sobre os Bairros de Rio Negrinho, participando ativamente de diversas situações significativas de aprendizagem.
            Cabe destacar que as TDIC foram incorporadas ao trabalho pedagógico em vários momentos, tanto para a impressão dos trabalhos, como fonte de pesquisa e para elaboração do Mapa Conceitual.
            Durante a experiência de integração, um dos desafios foi que os educandos ao elaborar o Mapa, necessitavam de atenção individualizada, pois estão em fase de alfabetização e os dois docentes precisariam de mais tempo ou até mesmo mais profissionais para atender a todos, visto que as crianças ficaram empolgadas e queriam digitar os nomes dos Bairros com a maior rapidez possível. Mesmo assim, a atividade foi realizada com sucesso, mas exigiu de todos: dedicação, paciência e organização.
            Para tornar o trabalho ainda mais abrangente, constatou-se que o mesmo poderia envolver mais turmas e outros profissionais da Unidade Escolar, pois o trabalho foi muito válido, possibilitando aos estudantes momentos de ação e reflexão, construindo coletivamente conhecimentos.
            Além disso, foi possível integrar as TDIC à prática pedagógica, de forma colaborativa e consistente. A  presente avaliação estará disponível no blog: emebpedro.blogspot.com





Núcleo Específico: A Prática Docente no Ensino Fundamental I e TDIC.

Cursistas: SERGIO IVAN PICCOLLI.
                 IVONETE TEREZINHA BONA.
Pólo: Joinville.

Atividade 3: EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM COM USO DE JOGOS VIRTUAIS.
            Com a finalidade de realizar uma experiência de aprendizagem com uso de jogos virtuais, aplicou-se o jogo Letroca-game, primeiramente na forma real e posteriormente na versão online do mesmo.
            No primeiro momento, os alunos jogaram com letras móveis, em duplas, formando palavras em um determinado tempo. No outro dia, realizaram a atividade na sala informatizada, usando o Letroca-game.
Na versão online, os alunos apresentam um alto grau de atenção e empolgação, pois puderam visualizar os acertos ou equívocos rapidamente.
            Como ganhos de aprendizagem, destacaram-se: aumento do vocabulário, desenvolvimento do raciocínio lógico, da coordenação motora fina e concentração. Nesse jogo, a criança teve a oportunidade de pensar e refletir sobre quantas e quais letras utilizar para formar diferentes palavras num determinado espaço de tempo.
            Já na versão real, os educandos também apresentam progressos como os supracitados, porém construíram menor número de palavras, pois o processo foi mais demorado e no computador a visualização dos quadradinhos que indicam a quantidade de letras facilitou estabelecer relações mentais para construção das palavras. 
            Enfim, tanto no real como no virtual, existiu aprendizagem significativa, mas ao realizar a atividade no computador e no real, percebeu-se que com o uso das TDIC houve um maior envolvimento e foram elencadas maiores possibilidades de formação de palavras.